Bandido bom

é bandido morto dá discurso
letra Fazer doação

Voltinteira

Olho vivo
te quero inteira
apesar dos dentes dos dias
agonia que engole a noite
não perca um pedaço sequer

Sangue frio
nas marés
de luzes vazias
onde a solidão empunha a foice
e abre um espaço entre nós

Longo é o caminho
longe a cura
minha aurora
não se perca

Duro andar sozim
entre tanta dor
meu agora
voltinteira

Meu bem
vou correndo e te encontro no fim
levo tudo que eu tiver ainda, coisa linda
e seja o que deus quiser

Não desisto
aquela letra segue mantida
onde a multidão empurra torpe
espero escutar a sua voz